segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

BOMBA DE FRAGMENTAÇÃO:


Muitos casamentos ( ou relações)  acabam quando um filho morre. De certa forma, uma causa mais digna do que um novo instrutor de ginásio ou uma aluna sedenta.
Silêncio, recriminação, deserto. Ainda assim, fica-se sempre sem saber por que há-de a morte dar vida a novas mortes.
ELA& ELA:


Ela entra nela pela janela,
como só as boas ladras entram.
Ela finge que está em casa,
como só as boas casas fingem.

ALUGAM-SE PRETOS:

Leitor de Henrique Galvão desde o Natal de 1976,  da venatória ( que é muito mais do que isso) e depois do que fui apanhando ( e perdendo, como aconteceu ao Velo d'Oiro),  ataquei a biografia  escrita por Francisco Teixeira da Mota. Rigorosa, não perde tempo com detalhes privados, pese algum excesso  documental, que, infelizmente, acaba por ser essencial
Os documentos são essenciais para destruir  o mito do são colonialismo português. Sempre que apanho um africano/a no consultório,  a consulta demora-se sem limite. Invariavelmente, o tom é do são colonialismo,  imune às minhas gaguejantes objecções ( "eles"estiveram "lá)".
Este pequeno exemplo, retirado  de um dos muitos relatórios de Galvão ( confirmados pelo  juiz-desembargador encarregue de os certificar),  pulveriza a lenda:

"(...) Agora, o preto não é comprado - é simplesmente alugado ao Estado , embora leve o rótulo de homem livre. E ao patrão pouco interessa que ele viva ou morra, uma vez que  vá trabalhando enquanto existir - porque quando estiver inválido  ou morrer, reclamará o fornecimento de outro. Há patrões que têm 35% de mortos  entre o seu pessoal durante o periodo de contrato."


domingo, 29 de janeiro de 2012

Eugenio Montale: Poesia e prosa



Montale, o Grande, também esteve ligado, embora numa  fase posterior,  ao ermetismo que aqui recordo.
COMO DIZEM:

Os canalhas  libertários, prefiro Teerão a Nova Iorque.
Culpa dos sionistas, não é? Nada que não tenhamos visto  durante grande parte do século passado, se substituirmos Irão pela URSS e sionistas por CIA.
FODIDA RDA (II):






Peço desculpa pelo tom brando e brincalhão do meu post anterior ( FODIDA RDA) .  
Uma generala vermelha que passa o tempo a valorizar a rebeldia e  a liberdade e depois elogia a RDA, é uma pequeno-burguesa hipócrita enfeudada ao moralismo soviétóide, uma rata de sacristia dos aparelhos de repressão comunista, uma boneca insuflável das ideias políticas.
COM UMA VANTAGEM:

O Blasfémias, ao contrário do que " A Bola" fez ao Ricardo Araújo Pereira, não vai sanear o JCD.
TEORIA (IV)-Erméticos:

Quem cunhou o termo foi Flora , em 1946, no seu  La poesia ermetica. Ao longo dos anos fui trazendo alguns erméticos: Luzi, Quasimodo e Gatto. Não me interessa tanto  o compromisso moral com um  ( vago...) ideal estético e místico (  Hermes  Trismegistus, o egípcio alquimista), antes a recusa absoluuuuuuuuta da banalidade quotidiana. Diz-se que o fascismo obrigava  ao luogo d'esilio e d'asilo. Seja.
Alfonso  Gatto foi esmagado, depois da queda do  fascismo, pelos  críticos  da pureza ermética. Era tempo de massas. Quasimodo, convertido ao realismo vermelho,  desprezou o gioco letterario de Gatto.  Note-se que Gatto ( 1909-1976), que fundou  o Campo di Marte , com Pratolini, foi membro do PC italiano até 1951.  
Basta de teoria. Um apaixonante exemplo ermético, o final de Carri d'autunno, publicado em Isola ( 1932), que nem precisa de tradução:

Cosí lontano a trasparire il mondo
ricorda che fu d'erba, una pianura.



sábado, 28 de janeiro de 2012

FODIDA RDA:

Uma  indivídua nascida em 1973, Raquel Freire, cineasta, disse que o sexo na RDA era muito melhor porque as mulheres eram mais  iguais.  Pode ter  sido audiosexo,  porque a liberdade na RDA acabou  em 1989, quando o muro caiu. Mesmo que RF tenha sido fodida e fodido livremente nos anos anteriores, só tinha 15-16 anos. O problema é que a sua página na wikipédia não relata grandes estadias adolescentes  na RDA, mas acredito que tenha sido bem fodida e tenha fodido bem nessa idade, embora seja difícil de acreditar que tenha fodido  uma significativa amostra  de mulheres  e homens  democráticos alemães.
Nada disto deve impressionar, porque  os activistas LGBT ( RF era uma das noivas do casamento  nas escadas de S.Bento) têm muitas certezas sobre o sexo e igualdade e fazem associações   às quais devemos prestar imensa atenção.
Só tenho pena que RF não tenha podido disfrutar longos anos  de uma vida adulta na libertária RDA, ou na URSS, onde os direitos  LGBT eram particular e libertariamente respeitados.
A bem dizer, é uma pena que muitos jovens ocidentais,  revolucionários e libertários, ainda não tenham vivido sob o espírito livre  da ex- Cortina de Ferro. Pode ser que um dia.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

GRAMSCI E OS SINDICALISTAS-BANQUEIROS:

 Referia-se aos sindicatos burgueses, óbvio, que,  mal comparados, podemos  arrumar hoje nos da UGT. Diga-se  que os sindicatos comunistas actuais também interpretam, por vezes, esse papel ( veja-se o caso da Auto Europa).
Gramsci (L'Ordine Nuovo, Outubro de 1919)  considerava-os produtores de  peritos burocráticos  e técnicos, organizações competitivas  ( no qudro capitalista) e não  comunistas:

"(...) Estes chefes tornaram-se banqueiros de homens em regime de monopólio e a menor alusão a uma concorrência torna-os loucos de terror e de desespero (...). Em muitos aspectos, os chefes sindicais representam  um tipo social semelhante a um banqueiro: um banqueiro experimentado, que conhece os negócios com um olhar, que sabe prever com alguma exactidão  as cotações da bolsa e a vida dos contratos ( ...). Um chefe sindical que, em plena confrontação das forças sociais em luta, sabe prever os resultados possíveis, atrai as massas à sua organização, torna-se num banqueiro de homens".

(Escritos Políticos, 1923-1926)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

PROGRESSO CIVILIZACIONAL:

Não eram travestis nem artistas, não terão direito a marchas de indignação nem tempo de antena.
Não eram nada.
MEDEIROS FERREIRA DIXIT.
PAULO JÚLIO:

O ex-autarca de Penela  está no fórum da TSF e muito bem. Fez um trabalho  fabuloso em Penela ( é aqui perto de Coimbra, conheço bem), é um homem sério e vai , de certeza, ser um bom secretário de Estado.
Se não puderam ouvir em directo, consultem o site da TSF. Vale a pena ouvir um político com ideias claras, sensatas e arrumadas.
HOFMANNSTHAL:

Amadurecer significa  separar de forma mais nítida, ligar de forma mais íntima.
 O SEU A SEU DONO:

No próximo número  da Ler, menciono a distinção entre o carapau mole e o enjoado. Não fiz a referência à fonte, por isso aqui fica. Ainda vai a tempo:

"Aqui fica o texto que recebi . O peixe seco na Nazaré A tradição de secar o pescado em excesso é de origem pouco conhecida, mas seria a melhor maneira de o conservar para os dias de escassez. Desta forma as peixeiras garantiam sustento para as famílias, mas também lhes permitia ter peixe para vender noutros mercados. As espécies mais utilizadas eram, e são, o carapau (de vários tamanhos), os batuques, a sardinha, a petinga e o cação (leitão = cação pequeno), devido à sua abundância, mas também o polvo. Na Nazaré distinguem-se duas formas de secagem: o peixe seco e o peixe enjoado, com características de preparação e consumo diferentes. O peixe é primeiro amanhado (processo de tirar as tripas), depois é lavado e passado por uma salmoura feita com água e sal grosso (outrora era utilizada água do mar). Por fim é aberto ou escalado, estendido nos paneiros e posto ao sol. A secagem demora entre 2 a 3 dias, dependendo das condições atmosféricas e da temperatura do ar. Este tipo de peixe pode ser comido cru (desfiado), mas é normalmente cozido, acompanhado de batata cozida (com pele) e regado com azeite e vinagre ou sumo de limão e alho picado. O peixe enjoado é preparado da mesma maneira, mas passa apenas 1 dia ao sol, de maneira que fica apenas meio seco ou enjoado."

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

ÉTICA REPUBLICANA:

Segundo o Público , de  hoje,  a presidenta da AR, Assunção Esteves,  não entregou a declaração de rendimentos. O jornal diz que  os esquecimentos, os atrasos e as inexactidões são recorrentes em Assunção Esteves, o que é bizarro atendendo às banalidades ético-políticas que a senhora desenvolve frequentemente.
Esta  notícia, como outras desagradáveis  relativas  a esta personagem, vai cair no fundo da cuba.
 UM EXEMPLO , DIGAMOS, ABSTRACTO:

Se for esperto, e muitos são mesmo muito espertos, sai a tempo da política e dedica-se "exclusivamente" aos negócios. Os seus negócios têm uma característica comum - fazem-se todos na "área de negócios politizados", todos dependem do acesso ao poder político e da decisão política, seja através de informação privilegiada, seja através de facilidades e escolhas de favor. Mas também por isso fica sempre com um pé, e um grande pé, dentro da política. Emprega nas suas empresas os seus companheiros de partido, e a sua família, cria laços sólidos no Estado e nas autarquias, recomendou e obteve a colocação de muitas pessoas que lhe são fiéis, ajuda a obter créditos e tratar de problemas com o fisco, ameaça quando é preciso e aparece quando é preciso. Nalguns casos institucionaliza a sua microrrede ou em associações e lobbies , ou, sempre deste retrato hipotético e compósito, entra numa maçonaria e usa-a para novas relações e novos recrutamentos em áreas sensíveis de decisão. Nos exemplos mais modernos recruta mesmo nos blogues alguns jovens lobos sedentos de notoriedade, poder e influência e que precisam de patrocinato, e a quem "enreda" para que não lhe venham a criar problemas no futuro.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Boris Vian - La complainte du progrès (1956)



Olaré.
HOFMANNSTHAL:

"A alegria exige mais entrega, mais   coragem do que  a dor. Entregar-se à alegria significa desafiar  na medida exacta a treva desconhecida".
O VERDADEIRO CAMBÃO:

Para além do denunciado por  Marinho Pinto, é o dos media  lisboetas (SIC-N e TSF à cabeça)  com os seus amigos:

1) O gabinete de Relvas, que não por acaso colecionou um naipe de malhados  assessores ( cripto-comunistas, neofascistas e frento-moralistas), conseguiu que  a  censura a Pedro Rosa Mendes esteja ausente dos noticiários*. Ide ler o que alguns  escreviam sobre  o regime de Luanda antes de servir o senhor Relvas. Façam-no antes do jantar.

2) A Moeda Para o Cavaco juntou  duas dezenas pessoas, mas a TSF não se esqueceu de dar a voz ao querido senhor Querido. Também não se esqueceu de mencionar a petição da senhora Isabel Moreira, que quer demitir o Presidente da República por delito de opinião. Certamente uma nova norma constitucional saída da cabeça da egressa.


* O PS obrigou a TSF a incluir o assunto no jornal das sete. Por coincidência, nessa altura já havia a habitual  explicação  de madeira: " estava tudo previsto".



DELITO DE OPINIÃO.
OS NOVOS DIVODIGNOS:

Nunca engoliram a primeira  vitória de Cavaco e, como não emigraram,  apesar das promessas, também não conseguiram engolir a segunda. Não lhe perdoam o veto ao casamento homossexual nem o ar boliqueimiano com que avisou sobre a situação insutentável. Poupem-me à causa da Coelha os que desprezam a denúncia  de outros enriquecimentos súbitos  e inexplicáveis.
Vai daí, os novos divodignos, querem atirar-lhe moedas*, demiti-lo, degolá-lo, enfim,  tudo  porque estão indignados com uma declaração. Já não é a primeira vez nem o primeiro pretexto. 
Repitam comigo:  as eleições  ( e os referendos...) só  valem quando os nossos ganham. Quando  não é assim , ou foram "golpadas" ou temos  destituições.
Nunca participei nos blogues de apoio a Cavaco porque sempre votei nele por exclusão de partes. Registo, no entanto, que há agora  por aí muito ex-excitado  acometido de paralisia nos dedos e nas cordas vocais. Somos terra de muito vento.


* Reparem: "uma enorme fúria popular". Ui.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

DEMOCRACIA  PARALELA:

Claro que não podem. Em Portugal, o monopólio do apelo à violência  é dos blogues da esquerda radical e do Otelo. Extrema? Ó meu caro, em Portugal, extrema só a direita. É  o que ensinam aos jornalistas  os senhores professores.
E isto é assim porquê? Porque o comunismo tinha apenas pequenos defeitos formais, Cuba é um exemplo de resistência ao neoliberalismo,  a Coreia do Norte é uma  escolha do povo, a Stasi era pitoresca, etc.
Os meninos  das redacções, e os jovens em geral, aderem? Claro que aderem. O apelo utópico às boas intenções e à quebra das regras da moral burguesa  cai que nem uma luva no seu egozinho mimado.
Cresça, homem.
"É PRECISO ESCONDER A PROFUNDEZA. ONDE? NA SUPERFÍCIE.":

O filho de Hofmannsthal suicidou-se quando a família se preparava para almoçar. Na grande sala, Hugo não imaginava  o que o filho se preparava  para fazer no andar de cima.
Escreveu muito sobre a culpa e sobre a fraqueza da juventude.

domingo, 22 de janeiro de 2012

GOSTO MUITO DE JUDEUS, O PROBLEMA É ISRAEL (III):

From that time forward all these jew conspired
To chase  this innocente  child from  the earth's face.
Down  a dark alley-way they found and hired
A murderer who owned that secret place;

( Chaucer, The Prioress's Tale, in The Canterbury Tales,  c. 1387)
NOVELA "O PRESTES JOÃO":


Manela perde a custódia da criança para Pedro. Pedro  acusa José de mau comportamento e conquista Lusa com promessa de lua de mel em Ponta dos Ganchos.  José , acabrunhado, vai refrescar a cabeça em Paris.
Paulo ajuda Pedro no cambalacho e chama Celeste, da turminha do Morro, à qual oferece balas e gomas.  Lusa fica doente e Troika vem ajudar mas pede muita grana. Pedro  cancela viagem para Ponta dos Ganchos e promete a Lusa  um cineminha assim que tiver tempo. Paulo  vai de excursão porque a bagunça não o deixa ler sossegado. Troika  lança os búzios e avisa Lusa que vai ter de emagrecer  para não pegar coisa mais ruim.
Vôvô Aníbal não sabe mais o que fazer e se tranca no casarão contado  tostão. Álvaro e Miguel compram jogo do bicho mas  ficam lisos. Álvaro tem colesterol alto e por isso oferece quindim a Troika , mas ela só aceita  dólar.
Os minino grapíuna fazem algazarra em frente a casa tocando pandeireta e alguns pai-de-santo  se juntam e rezam todos pela saúde de Lusa.

sábado, 21 de janeiro de 2012


HAT TRICK:

Garcia Pereira, animador de manifs de indignados; e  nos tempos livres...
O PIQUENICÃO:

Com grasnidos de pavão, em alegre casquinada,  uns  bertoldos a comer iscas de bacalhau com as mãos enquanto  murmuram "paradigmas" e mastigam a excepcional importância  da  cultura, essa  puta sem a  qual o povo ( os artistas avençados)  não sobrevive.
À noitinha regressam às suas luras, aos chinelitos,  aos douradinhos, ao Peso Certo.
GEORG SIMMEL NO RELVADO.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

FANÁTICOS (II):

Num dos comentários  a este comentário da Ana,  pode ler-se: "(... ) se o homem não está para engravidar (...)". Sim, não está para aí virado, devem levar a natureza a tribunal o quanto antes.
A frase que a Ana comenta, e com a qual concorda,  traça um plano: já que tudo acontece de qualquer forma, por que raio há reaccionários que querem impedir que tudo aconteça? Bem, é verdade.   A partir do momento que uma parvajola pode alugar uma barriga porque  não está para se maçar, a coisa deve ser estendida  a todos: homos, bis, trans, cyborgs, etc. É da mais elementar justiça.
Como dizia o Evola, não vale a pena  lutar contra  a maré, o melhor é prepararamo-nos para o que virá, seguramente,  depois.
POLISSEMIA:

"Mas posso esclarecer que não fui ministra".
E é capaz de ter razão. O actual ministro Relvas, que entrou no parlamento com o 12º ano incompleto e cumpriu depois sete legislaturas, disse que tem uma carreira  fora da política. Também  terá razão.
Política é uma palavra polissémica.
TODOS CONTRA A BARBIE:

Ofende valores islâmicos e não só: os valores da esquerda revolucionária do teclado ( elas  costumavam ter pernas grossas, agora não sei) , das feministas e  dos activistas LGBT. 
É para o lado que durmo melhor, é lá com eles, mas espero não acordar com ela proibida nos centros comerciais de Paris, Oslo ou Londres. Assim como assim, ainda nem sequer temos a  poligamia.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

 FANÁTICOS:

Nas barrigas de aluguer, os neofanáticos LGBT  ignoram a ciência,  que  demonstrou  suficientemente a ligação entre o feto e a mulher que o gera.
Bem, talvez faça sentido: os neofanáticos LGBT, onde não podem decretar  a igualdade de género, renegam até a ciência.
TEORIA (II):

O poeta é o ser interior a tudo ( Pascoes, Viagem Universal). Não.
O poeta é um desperdício da energia. É um ser exterior a tudo, sobretudo a ele mesmo.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

PROIBIÇÃO  DE VER FUTEBOL:

Doentes  cardíacos, alunos cábulas, casais com problemas de comunicação e pessoas que não gostam de futebol, entre outros,  têm de ser protegidos das consequências do futebol passivo: berros, excitação, incomunicabilidade, isolamento emocional, etc.
A SportV passaria a emitir sob o escrutínio da DGS, departamento de Pomoção de Hábitos Inócuos.  Para evitar a convulsão social., numa primeira fase começarão a ser licenciados blocos habitacionais livres de SporTV  e de outras fontes de poluição.
Posteriormente, depois de os estudos  científicos encomendados  confirmarem os danos previstos, passaremos à proibição total , o que ocorrerá já em 2014.
DE VOLTA:

Escrevam mais,  escrevam mais...
AH, OS CIENTISTAS:

Deve ter sido por causa das evidentes provas dos  malefícios do fumo passivo que os charutos foram apagados das fotografias de  Churchill e o Lucky Luke trocou o cigarro pela palhinha.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A PIRA DE DOMINGOS.
PODIA SER ASSIM:

- Chacun, monsieur le péllerin, possède un horloge
recélant l' écheveau d'événements à conjuguer.

(Saint-Pol-Roux, L'arracheur d'heures, 2001)
RESPEITO:

Quando encontramos a mulher superior, não a devemos olhar. Não temos o direito de a fazer sentir avaliada, medida como um troféu,  ilaqueada no nosso credo.
Quando encontramos a beleza,  devemos desistir imediatamente.
CARTILHA  DOS EGRESSOS:


Ontem eras manifestante justo, hoje és profissional da arruaça.
Ontem eras alforreca, hoje és uma estrela-do-mar patriótica.
Ontem eras racional, hoje és uma agência dos americanos.
Ontem cantavas a  revolução proletária,  hoje cantas aos proles.
Ontem era mudar, hoje é aguentar.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

WITSEL, UM NOVO SHÉU.
CAPITÃES  MICKEY:
Parece que, agora , nos naufrágios, o capitão já não afunda com o navio.
Em Portugal há umas centenas largas de capitães.
FEITAS AS CONTAS:

Nomeio-te, nomeias-me, nomeámos.
Serás grande cavaleiro da ordem dos atortelemados,
guarda-tabaco dos acepilhados em fúria,
preboste real da comenda dos parvajolas.
Podes ter sido vermelho,
analfaburro,
bertoldo de secção,
não importa:
basta que não digas
não.

domingo, 15 de janeiro de 2012

ETAR SENIOR:

Deitamos  aspirina nas jarras das flores e nas artérias dos velhos. 
Com esperança devolvemos ambos  à terra, sabendo que as flores  são recicláveis e os velhos, porque os depósitos autorizados se esqueceram  da licença, não.
FIAMA, SEMPRE:

Não pude assim distinguir literatura
da arte das sensações, da fala,
ou dos objectos. Tudo participa
do mesmo dom da fixação dos signos,
embora a miragem e a soberania
sejam sempre concedidas ao texto.

( Área Branca, 1978)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

EU SOU O ESTADO.
MULHERES, FANTASIAS & REALIDADE:

1) "Ainda estou à procura do homem perfeito":

1.1) Adolescentes que esperam  um moço para quem gordura seja formosura.
1.2) Edipianas bloqueadas e iludidas acerca da sua importância.

2) " Pensava que  envelheceríamos juntos":

2.1) Abandonadas na menopausa delas ou na andropausa deles.
2.2) Fantasistas avant la lettre.

3) "Já não confio nos homens":

3.1) Ex-crédulas profissionais.
3.2) Incapazes de acreditar.

4) "Agora quero é aproveitar a vida":

4.1) Acrisoladas  de  vingança.
4.2) Perceberam que não é só nos filmes.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A DESMORALIZAÇÃO DA SOCIEDADE:

A coberto da indignação com os indignados ,Helena Matos,  uma autora que costuma  rugir contra o clangor pós-moderno, acaba por  interpretar um dos  piores vícios da desmoralização: o desprezo pelos  velhos.
CHUMBO GROSSO:

Céu plúmbeo é um dos clichés mais estafados. Ainda que não fosse - a obrigação da poesia é inventar o que não podia ser inventado - não gosto, é pesado e lembra-me púbico, pumba e o Rei Leão.
Que Carducci, nas Odi Barbare ( 1877),

( Flebile, acuta, stridula fischia
la vaporiera da presso. Plumbeo
il cielo e il mattino d'autunno
come un grande fantasma n'è intorno.)

e centenas de outros, antes e depois,  o tenham utilizado,  é como o outro. 
Hoje,  é preguiça, incompetência e desleixo.




quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

NA CRISTA DA ONDA:

A direita sem complexos
ergue o mindinho no banco de trás.
Quando toma o volante
chupa sabida o  dedinho voraz.
NÃO ÉS CELESTE CARDONA:


Regrides para progredir,
empobreces para viver
enganas-te para acreditar,

Acreditas para regredir,
Vives  para te enganares,
Progrides para  empobrecer.

FRANZ GRILLPARZER:

Se o meu tempo me contesta,
sereno o hei-de aceitar
que eu de outros  tempos já venho
e espero a outros  chegar.


( trad. de João Palma Caetano)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

CINCO DIAS SEM ENTRAR COCAÍNA EM PORTUGAL:

Salva-se a dos  transbordos, claro.
BANALIDADE ENGRAÇADA:

Sou o que quero
mas  desisto  todo os dias
de ser o que não fui.

Isto ( e as aves, os navios, os lábios, etc)  é o que não estará na singelinha  edição de poesia que estou a ultimar. Um tipo tem de ir a jogo, vero, mas comigo é canela até ao pescoço ( como no campo).
E o prazer de procurar  uma pequena editora que não publique autores popstars ou participantes  nas Manhãs da Júlia? Isca com ela se encontrar quem aceite a tarefa.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

ARQUIMEDES 2012:


Encontrai  uma mulher cabelereira  e cozinheira e não sereis  deste  mundo.
OS ALUNOS  DE KONORSKI:

Ao contrário dos de Pavlov, os cães  de Konorski ( que foi colaborador  do russo )  modificam o comportamento de forma voluntária. São muito atentos às consequências.
Por exemplo, pagar um favor antigo a uma  irrelevância é electrificante.

domingo, 8 de janeiro de 2012

GUARDIOLA, VEM A PORTUGAL.
LIRISMO:

Tive   a sorte  de  conseguir  a poesia completa de João Lúcio ( edição da INCM, claro), o único  que Pascoaes considerava  à sua altura. Já o trouxe ( julgo que no Mau-Mau) porque fico sempre rendido  quando, no meio do enjoativo  êxtase lírico, encontro coisas que só podem ser postas nesse registo:

Como a floresta, meu amor, eu tento,
Atirar meu canto pra a altura:
Para a fazer cantar, toca-lhe o vento,
Pra me fazer cantar , no pensamento,
Passa o sopro da tua formosura.


( Na Asa do Sonho, 1913)

sábado, 7 de janeiro de 2012

HAGIOLOGIA*:

A única sociedade secreta  é a dos homens bons.


* Brinca , Eduardo?  "Todo o  maçon é um  patriota,  um homem generoso e  acima de qualquer suspeita "( A. Arnaut). Nunca ouvi dizer isso dos médicos, muito menos dos advogados.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

HOMENS E BOIS:

No final da semana, Pulido Valente, que já disse bem de tudo o que  já disse mal ( é o sempre-em-pé  dos tios  de Lisboa) , resumiu o clangor dos atortemelados : fingiu que  a "indignação" contra a deslocalização da Jerónimo Martins  não teve nada   a ver com o facto com de Soares dos Santos ter andado a pregar, emproado e  assertivo,  o contrário do que agora fez.
Como diz o povo, os homens conhecem-se pelas palavras e os bois pelos cornos. 



DOS PARVAJOLAS.
AÍ VEM ELE:


Quis saber de sinais:
carros de duas rodas
e  mulheres caladas.
Quis saber do postema,
gordo e luzido,
que vai abrir-se 
para todoS.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

KRAUS E O SPORTINGxFCPORTO.
ANGÚSTIA:

Mil vezes os poetas aos psis:


Un uomo si avventura per un lago
di ghiaccio, sotto una lampada storta.

( Saba, Parole, 1934)
O ASSESSOR:

- Deixe-me assessorar.
- O que sabe fazer?
- Sei dizer  que sim e que sim e talvez.
- É pouco.
- Tem razão. Brilhante.
- Porquê?
- Porque tudo o que o ministro  diz está certo.
- Mas antes você dizia que não.
- Oh.
- Sim, chamava-me molusco.
- Isso foi para sublinhar a  mudança.
- O quê?
- A minha conversão à sua grandeza.
- Você é uma  merda.
- Bem dito.










quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

AINDA BEM:

De caminho, parabéns pelo blogue, embora me prepare para dar  umas alfinetadas ( como sou amador eles não se importam).
OS MACHOS.
O ARMUZELO   LIBERAL:

Podes  morrer, emigrar, esfomear.
Podes  sonhar, jogar na lotaria, protestar.
És livre de ser  o que não queres
e de ter o que  não podes. 


Francisco Alvim lê Carlos Drummond de Andrade


Alvim ( o de Elefante, que já cá esteve) não declama, porque nesse caso não o punha aqui.
http://semrelva.blogspot.com/: ACEPILHADOS.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

VAI, ME FAZ UMA CAMPANHA:

Vai, me faz uma campanha,
me bota de quatro  na TV
em  baby doll
toda azulinha cadáver.
Vai, me faz uma campanha,
põe  menino satisfeito
escrevendo  bobagem
que muda comportamento.
Vai, me faz uma campanha,
para meus caras
e todos os caras
ficarem sensibilizados.
Mas, olha, 
não esquece o feijão no tacho.
HABLA COMIGO, TEGGY:

Se é subsídio de ferroviário, é imoral,
se é deslocalização  de capital, é legal.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

RAZÕES:

Também  lhes é negado um país, mas a diferença, e   a razão para o encolher de ombros ,  é que não são  judeus que lho negam.
 VOCAÇÕES:

É educadora de infância, nasceu para aquilo.
É mendigo, nasceu para aquilo.
É arrumador , nasceu para aquilo
É  esfomeado, nasceu para aquilo
MULHERES, SEXO  E COZINHA:


1) Totalmente frígidas e diz que dói: 
   Cozinham muito. Rissóis, bolinhos, quiches, assados festivos, doçaria variada.
2) Anorgásticas e edipianas:
   Fanáticas da pastelaria, mas ignoram as bases, os tempos e a preparação de carnes, peixes e caça.
3) Mal amadas:
   Se pela mãe, não entram na cozinha, se pelo pai, só brunchs.
4) Histéricas edipianas, múltiplos parceiros,  mas  só querem um pedestal:
   Macrobiótica, vegetariana, raízes, saladas. Não sabem o que é um tacho.
5) Gostam de cama e dedicam-se    a um homem:
   Sabem  comer, cozinham o que for preciso sem complicações, têm um dente doce e devoram  amêijoas.


    

domingo, 1 de janeiro de 2012

DA POSSE:

Difícil de encontrar( julgo não haver edições ou reedições recentes),  Luiz Moita  fez parte do núcleo que fundou, em conjunto com,  por exemplo, António Ramos Rosa,  a Árvore ( quatro números, entre 1951 e 1953). Este Moita fazia parte do círculo dos Bugalho ( do pai e do  filho, o Cristovão Pavia de assinatura) , mas isto vem a propósito de outro Luiz Moita, que publicou na Contemporanea ( era grafada assim),  no número  8, de 1923 ( o único em papel que possuo) , esta pequena verdade:

A maior posse não existe. Pois
Não há desejo que não quebre em dois
Nem sonho que não morra insatisfeito.