domingo, 30 de outubro de 2011

DOWNSTAIRS, DOWNSTAIRS:

A passagem de  Downton Abbeyna FoxLife,  provocou os habituais suspiros abafados nos lencinhos: "those were the days", "que mundo simples", etc. A série está bem feita, claro, mas, talvez porque cresci a ouvir as histórias sobre as criadas de dentro  que nunca tinham visto um autoclismo, deixo duas notas:

1) A série, tal como a original Família Bellamy, ( Upstairs, Downstairs),  não "transmite  os valores de uma época" coisa nenhuma. Transmite  as categorias culturais da classe dominante,  que,  é verdade, eram por vezes assimiladas pelas classes dominadas ( Reich,  que distribuía preservativos  pelos  operários de Viena nos anos 20, queixava-se de que o proletariado imitava  a moral sexual burguesa).

2) O sucesso deste tipo de séries reside num logro. Enquanto aparenta mostrar dois  mundos ( o da aristocracia e o dos servos), só mostra, de facto, um. O que atrai o espectador é o charme das caçadas,  dos  jantares,  das porcelanas, dos dichotes entre charutos,  etc. Ninguém pagaria para ver de perto a higiene dos empregados, a comida dos empregados, a forma como viviam os pais dos empregados, o casamento dos empregados; como não faria sucesso uma  série  escatológica sobre os hábitos de vida dos 5d per hour.

5 comentários:

ana disse...

So true

ariel disse...

Ora bem!

henedina disse...

Feios, porcos e maus. Ettore Scola.

FNV disse...

Há centenas de filmes sobre feios porcos e maus.O post é sobre uma série de TV britânica.

henedina disse...

Para serie não se usa mas resume bem o que não se mostra em serie.